Consultório Odontológico _ Contato

Consultório Odontológico _ Contato
Clínica Geral/Odontopediatria__Telefax: (33) 3755-1526 Skype: cdmarciolara
Caso tenha alguma dúvida ou queira conversar conosco on-line, chame-nos pelo Skype ou MSN Messenger(clique abaixo) !!!

Site consultório: www.odontologialara.com.br






Google
20 ANOS DEDICADOS À ODONTOLOGIA
A SUA SAÚDE EM NOSSAS MÃOS!
INVISTA EM VOCÊ, SEU SORRISO MERECE!
MARQUE JÁ A SUA CONSULTA:
(33)3755-1526

Windows Live Messenger

quarta-feira, 16 de abril de 2008

Odontologia _Relação do Stress com o Aparecimento de Lesões na Cavidade Oral _ Estomatologia

Relação do Stress com o Aparecimento de Lesões na Cavidade Oral.xiliar

Colaborador



MARIANA TRIGUEIRO VIANA BATISTA
Cirurgiã Dentista

Introdução

O estresse, seja ele de natureza física, psicológica ou social, é composto de um conjunto de reações fisiológicas que se exageradas em intensidade ou duração podem levar a um desequilíbrio no organismo. A reação ao estresse é uma atitude biológica necessária para a adaptação à situações novas. O estresse pode afetar o organismo de diversas formas e seus sintomas podem variar de pessoa para pessoa. O estresse, como outros distúrbios de comportamento, pode alterar as defesas do hospedeiro, aumentando a vulnerabilidade às doenças associadas a mecanismos imunológicos, como infecção e doença auto-imuni (ALVES, 1999).

Várias patologias que estão associadas à mucosa oral apenas por serem de ordem infecto-inflamatória, podem ser influenciadas por fatores psicossociais como o estresse (ALVES, 1999).

Com o argumento de que o cigarro ajuda a aliviar o estresse, alguns fumantes costumam justificar o vício. Um novo estudo da University of East London, na Inglaterra, porém, afirma que ocorre o contrário. A dependência de nicotina aumentaria o estresse. Segundo os cientistas, fumantes adultos e adolescentes experimentam períodos de maior tensão entre um cigarro e outro, só relaxando quando fumam novamente.

O hábito de fumar leva a uma série de alterações no organismo humano. O fumo é considerado um dos mais importantes fatores de risco no desenvolvimento e progressão de doenças como o carcinoma epidermóide (principal tipo de câncer bucal), gengivite, periodontite entre outras patologias (LEITE, 2001).O estresse em casos mais extremos pode provocar infartos, úlceras gástricas e ainda podem gerar as lesões bucais como: herpes simples recidivante, pênfigo vulgar, líquen plano e úlceras aftosas. Torna-se, então, necessário que o cirurgião dentista reconheça as frustrações, tensões cotidianas e o nível de envolvimento dos pacientes com as drogas, para que possa diagnosticá-los e tratá-los adequadamente, o que será possível através de uma boa anamnese.

Algumas Manifestações Orais Associadas Ao Estresse:

Ulcerações Orais Recorrentes (Aftas Recorrentes)

Clinicamente a afta recorrente apresenta-se isoladamente ou em grupo, com poucos milímetros de diâmetro, localizadas essencialmente em mucosa não queratinizada zonas como as bochechas, bordo e ventre da língua, face interna dos lábios e palato mole. As úlceras apresentam uma zona central, branca ou acinzentada, rodeada por um halo eritematoso. As lesões podem ser extremamente dolorosas, dependendo da região anatômica envolvida, e interferir com a ingestão de alimentos e/ou com a linguagem. O tratamento da afta recorrente é baseado no uso de corticosteróides, quer por via tópica quer, em casos mais graves, por via sistêmica (AZUL & TRANCOSO, 2006).

Língua Geográfica

Em todos os indivíduos, a língua geográfica caracterizava-se por áreas com desenhos irregulares e limites nítidos, eritematosos, em virtude do despapilamento filiforme da superfície lingual, distribuído tanto no dorso da língua quanto nas bordas laterais. Os tamanhos destas lesões são muito variados como também seu número. Essa alteração é mais observada em idades mais precoces; 44,8% dos pacientes não têm consciência da patologia; o ardor é um sintoma referido por 45,6% dos pacientes; a atopia está presente 38,4% dos pacientes; a hereditariedade (44%) e o estresse emocional (64%) são fatores importantes na etiopatogenia da doença (GONZAGA, 1995).

Herpes Simples Recidivante

O Herpes simples recidivante geralmente se manifesta em torno dos quinze anos de idade, sendo que os surtos declinam após os vinte e cinco anos. Após introduzido no organismo, o vírus parece que permanece latente no interior das células epiteliais, e sendo que as recidivas representam uma ativação do vírus residual e não uma infecção.

Uma das particularidades mais notáveis do herpes recidivante é a grande variedade de mudanças internas e externas que parecem capazes de desencadear surtos. Podem ser mencionados: exposição aos raios solares, tensão emocional, distúrbios digestivos, doenças viróticas como gripe e resfriado, ansiedade e hostilidade definida, etc...

As lesões podem ocorrer tanto no lábio, como na mucosa bucal, sendo extremamente raras, intrabucalmente. Cerca de 12 a 24 horas antes do aparecimento das vesículas desenvolve-se uma sensação de hiperestesia ou ardor na região. As vesículas são sempre múltiplas, pequenas, formam grupos e tendem a coalescer. Rapidamente rompem liberando líquido branco-amarelado e formam crostas sero-sangüinolentas que coagulam tornando-se aderentes. É comum a presença de edema e eritema. As lesões são reparadas, geralmente, entre sete e dez dias sem deixar cicatrizes.

Pênfigo Vulgar

Os pacientes com pênfigo vulgar, em cerca de 60% dos casos, apresentam os primeiros sinais da doença na mucosa bucal.. As lesões, inicialmente, apresentam-se como bolhas contendo líquido, ou como úlceras rasas. As bolhas se rompem rapidamente, deixando o teto colapsado. Essa membrana acinzentada é removida facilmente com uma compressa de gaze expondo uma base avermelhada, ulcerada e dolorosa. O aspecto das úlceras varia de pequenas lesões semelhantes a aftas até a grandes lesões parecidas com mapas.

Conclusões

O cirurgião dentista, desperta para a realidade holística do ser humano, educa o paciente para auto-avaliação e motiva-o para o tratamento; com isso as possibilidades de sucesso serão maiores, pois haverá um comprometimento paciente/ dentista, dentista/ paciente, em busca da cura da lesão, ou melhor, do quadro. Reconhecer as frustrações e tensões cotidianas é inevitável e um dos primeiros princípios para o domínio do estresse. Muitas pessoas acreditam que, se eliminassem o estresse da sua vida, poderiam sentir-se mais felizes e relaxar. Esta idéia, entretanto, não é realista. Vivendo em uma sociedade moderna, freqüentemente nos defrontamos com situações, sobre as quais não temos qualquer controle para mudá-las ou eliminá-las.

O relaxamento mental e físico proporciona imensos benefícios à saúde. Quando praticado regularmente, o relaxamento tem efeitos profundos no sistema imunológico da pessoa, tornando-a mais resistente aos agentes transmissores de doenças, além de baixar a pressão do sangue e o nível de colesterol.
As pessoas que relaxam, esporadicamente por alguns minutos, tendem a ter benefícios mínimos. Entretanto, aquelas que relaxam, regularmente, todos os dias, experimentam muitas vantagens, além do fortalecimento do sistema imune.

Bibliografia

ANTUNES, K B et al, Lesões Bucais x Estresse, disponível em: www.aonp.org.br/fso/bibliote;
AZUL, A. M.; TRANCOSO, P. F. Patologia mais frequente da mucosa oral. Rev Port Clin Geral v. 2, p. 369-77, 2006;
ASSAF, A V, Fatores de risco para a doença periodontal, RBO, Rio de Janeiro, v. 56, n. 6, pág. 291-294 nov/dez, 1999;
BARRETO, R C, et al, Úlcera Aftosa Recorrente: uma contribuição para o seu tratamento com modelador na resposta imunológica e vitaminas antioxidantes A, C e E, Pesq. Brás. Odontoped Clínica Itegrada, v. 1, n. 1, jan/abr, 2001;
BORAKS, S, Diagnóstico bucal Ed. Artes Médica, 1996
CRISPIM, A S S et al, Língua Geográfica, avaliação clínica e micológica, Rev ABO Nacional, v. 7, n.2, 86-89, abr/mai, 1999;
GONZAGA, H F S et al, Aspectos epidemiológicos e etiológicos na língua geográfica, Rev Odontol. UNESP, SP, 24(1): 169-177, 1995;
LEITE, A, O tabagismo e a boca, Rev da APCD, v. 55, n. 1, 7-14, jan/fez, 2001




Data de Publicação do Artigo:

28 de Novembro de 2006

Nenhum comentário:

Pesquisar postagens neste blog