Consultório Odontológico _ Contato

Consultório Odontológico _ Contato
Clínica Geral/Odontopediatria__Telefax: (33) 3755-1526 Skype: cdmarciolara
Caso tenha alguma dúvida ou queira conversar conosco on-line, chame-nos pelo Skype ou MSN Messenger(clique abaixo) !!!

Site consultório: www.odontologialara.com.br






Google
20 ANOS DEDICADOS À ODONTOLOGIA
A SUA SAÚDE EM NOSSAS MÃOS!
INVISTA EM VOCÊ, SEU SORRISO MERECE!
MARQUE JÁ A SUA CONSULTA:
(33)3755-1526

Windows Live Messenger

quarta-feira, 14 de maio de 2008

Odontologia:A consulta com o odontopediatra é diferente da consulta com o pediatra _ Odontopediatria

Primeira consulta

A consulta com o odontopediatra é diferente da consulta com o pediatra

Ir ao dentista não é a mesma coisa que ir ao pediatra, e os pais não devem esperar que uma experiência possa ser comparada à outra. O dentista enfrenta problemas diferentes. Primeiro, a cooperação da criança é essencial. Para fazer uma limpeza e um exame de raios X adequados, ou uma boa restauração, o dentista necessita da atenção da criança pôr uns 15 a 20 minutos de cada vez. O pediatra, que põe a criança na balança, olha sua garganta, ouve sua respiração, necessita um período menor de cooperação. Os pais freqüentemente ajudam o pediatra a segurar a criança. Pôr não sentirem a visita ao pediatra como uma ameaça, eles não transmitem tensão para a criança.

Outra diferença freqüentemente, a criança tem que ir ao dentista inúmeras vezes, de forma que o dentista tem que manter um bom relacionamento continuamente, em todas as sessões. As visitas ao pediatra são geralmente separadas pôr longos períodos de tempo após o período pós-natal.

O que você faz quando traz duas crianças para o consultório - vamos dizer, uma de 3 e outra de 5 anos? Você põe o mais velho na cadeira e deixa o mais novo assistir?

Embora possa ser surpresa para você - e talvez para o seu dentista - eu aconselho a deixar seu filho mais novo ir primeiro. Pôr que? Porque, se o menor for primeiro e se comportar bem, o mais velho achará que tem que se comportar da mesma forma. Da mesma forma, o menor não terá condições de interpretar o que está sendo feito ao seu irmão mais velho, e isso não o deixará preparado para sua própria experiência, além dele poder se ressentir de ser sempre o "café-com-leite".

Eu não me importaria com os efeitos do choro de seu filho em outras crianças, as quais geralmente reconhecem o que há no choro: frustração, raiva ou necessidade de atenção.

Se você achar que precisa preparar seu filho para ir ao dentista, siga a regra que se aplica ao sexo e à política: não diga à criança nada além do que ela estará pronta para ouvir. Eu mesmo diria algo assim: "Nós vamos ao dentista esta tarde. O dentista vai olhar seus dentes. Quando chegarmos lá, você poderá se sentar numa cadeira especial. O dentista olhará dentro da sua boca, contará seus dentes, e lhe dirá qual a melhor forma de cuidar dele".

Infelizmente, algumas crianças só vão ao dentista quando estão em situações de emergência. A família espera até que uma cárie se forme ou uma dor de dente surja. Nesses casos, você poderá dizer: "O dentista é alguém que toma conta de seus dentes quando eles estão doendo e vai ajudá-los a ficarem melhores. É pôr isso que estamos indo ao dentista".

Como com qualquer outro assunto novo, você deve responder somente ao que seu filho lhe pergunta, dando informações no nível adequado a uma criança, e não mais do que a criança desejaria saber naquele momento. E, quando você não souber qualquer coisa, é melhor admitir do que inventar uma resposta.


Nenhum comentário:

Pesquisar postagens neste blog